sábado, 9 de outubro de 2010

CORRENTES ANTROPOLÓGICAS AO LONGO DA HISTORIA


O desenvolvimento e a expansão do capitalismo propiciaram o florescimento da Antropologia. Assim, as sociedades não-europeias eram vistas como sociedades de pesquisa por terem uma condição diferente da que era vivida nos países da Europa. A  primeira teoria antropológica, a EVOLUCIONISTA, observa que a humanidade seria composta de diversas espécies em diferentes etapas, cada sociedade estava inserida num continuo de escada (as mais atrasadas para as mais evoluídas em tecnologia.
O funcionalismo sucedeu ao evolucionismo como crítica ao seu EUROCENTRISMO e ETNOCENTRISMO. De acordo , cada sociedade constitui uma totalidade integrada e composta em si mesma, que tem a função de satisfazer as necessidades dos integrantes que a ela pertencem. Malinowski definiu FUNÇÃO como, A RESPOSTA DE UMA CULTURA A UMA NECESSIDADE BÁSICA DO HOMEM.
O ESTRUTURALISMO é outra  abordagem do conhecimento antropológico. Em sentido figurado e simples, a ESTRUTURALISMO explica que a cultura se assemelha aos elementos não-visiveis que sustentam a edificação e estabelecem as relações culturais que sustentam as partes que compõem cada cultura.
Os novos estudos científicos emergentes como a psicanálise, semiologia e o marxismo vão ser assimilados na teórica antropológica estruturalista. Lévi- Strauss observa que uma elaboração estrutural teórica é capaz de ver os sentidos dos dados empíricos de cada realidade investigada.
Já O INTERPRETATIVISMO, corrente bem atual, busca entender os significados das ações culturais como uma produção essencialmente simbólica. Para compreender o “simbólico” humano é necessário interpretar. Ou seja, o ser humano é um ser de linguagem a ser interpretada. Só podemos apreender o objeto de estudo pelo discurso e, portanto pela interpretação simbólica, sua decifração e formas de expressões no DITO e NÃO-DITO, NAS ENTRELINHAS.

Um comentário:

avlas disse...

Alo, bom resumo. ajudou-me muito. Salvador (Mocambique)