sábado, 3 de julho de 2010

A copa


" Uns de chuteiras e outros descalços"


Não, não é sobre as outras copas  que fomos vitoriosos, saímos as ruas gritanto Brasil, Brasil... e vestindo verde e amarelo e nem da próxima que vem se realizar aqui. Também nem vou  escrever como forma de "cartase coletiva" para esquecer a derrota brasileira frente a Holanda e nossa eliminação.  O objetivo do presente artigo é  associar o futebol a outras questões. Procuro tanto as  copas anteriores quanto a próxima  a algo mais ampla do que a  partida de futebol, do técnico zangado com os reporteres e da imprensa xereta por um furo de reportagem. A copa, ou melhor, as outras copas a que me refiro no artigo está nas derrotas do desenvolvimento humano da nossa nação, O BRASIL. Aproveitando os ânimos dos cidadãos, puxo um dedinho de prosa sobre o assunto cotidianamente esquecido. O país do futebol precisa melhorar ainda mais sua vida social, daqui a alguns dias será as eleições em vários niveis e como tem sido o nosso desempenho como eleitores? Pior  ou igual ao  dos jogadores de futebol ?
Nem se quer somos um modelo referência para os países latinos em educação. A Argentina e o Chile ( que eliminamos)  tem dado de "olé" no "ranking" internacional de qualidade de educação. Como poderíamos ser uma seleção de futebol vitoriosa. Se nos falta educação básica? O grito de gol fica engasgado mesmo. O Brasil anda bamba das pernas no quesito social, dai a qualidade de sermos um referência num esporte tem caído bastante nos campeonatos anteriores. Sei que alguém poderia dizer que a seleção brasileira ganhou na copa América, das confederações e ficou em primeiro lugar nas eliminatórias, mas temos que pensar mais apurado. Os jogadores que vestiram a camisa amarela em sua maioria eram de fora, trocando em miúdos  jogavam nos clubes da Europa  ( tinham a melhor preparação técnica do mundo) do que no próprio país. Ou seja, são os jogadores "brasileiros" certo,  mas nem tanto. O verdadeiro jogador do Brasil se encontra nas divisões de base e amargam com a falta de estrutura e até de salários. para as partidas. Fica a pergunta: era realmente o Brasil que estava ali representado na Àfrica? Se fosse a seleção genuínamente brasileira acredito que nem passaria da primeira fase. Somos campeões em desiguadade social, e extremos em alguns aspectos. O Brasil , neste caso, se posiciona igual aos países de situação miserável do mundo. Um exemplo do que escrevo é a hansenise (lepra), o Brasil é o segundo do mundo, perdendo somente para a India. Isso quer dizer que as condições socioambientais de nós levam as pessoas a adquirir a doença que ja foi eliminada em várias partes do mundo.  E isso seria resolvido com mais consciência de nós, brasileiros. Será que somos bons de bola e ruins de cidadania ?
A população brasileira mais "esclarecida" deveria cobrar dos dirigentes politicos e autoridades em geral mais qualidade nos serviços (educação, saúde, segurança...) que eles tem como comandantes maiores o dever de garantir a todos. A partir disso podermos ter um seleção vitoriosa. Não é preciso nenhum julgamento moral como fazemos com o técnico e seus auxilares da seleção ao perderem uma partida de futebol. A indignação com o desempenho dos jogadores deveria migrar para os responsáveis de nossa sociedade maior. Essa copa social é nossa e precisamos assumi-la, se joga todo dia com os desenvolvimento social da rua que moramos passando pela cidade que habitamos até a nação que formamos.

4 comentários:

EDSON disse...

Arrasou na comparação, posso usar o texto?

s@avio20 disse...

Muito boa sua reflexão, amigo!!

♥♥♥Manúh disse...

Perfeito costinha!. Adorei a colocação , pois antes de tudo , acho que o país (seus governantes) deveriam dar mais atenção a educação , para podermos tornar um país digno de boa educação e depois , pensarmos em desempenho dos "craques" .

G. Rafaelly disse...

Que texto ein?!
Pura verdade, nosso país precisa de melhoras, de pessoas que preservem e saibam cuidar do nosso país, que seriam nós mesmo, mais também precisamos da ajuda dos políticos, porque eles que dão as "regras", mais se cada um fizer suaa parte, teremos um país melhor... Se os políticos deixarem a corrupção,e comessarem a agir, melhorando a qualidade de vida da população, com melhor educação, saúde,e principalmente com mais segurança.
Qunato mais se age, mais se fala de cuidar do nosso país, pior fica, é como se não tivesse mais soluções para estes problemas.